E DEPOIS DO CAFÉ? #003


Enviar este post



Relembrar (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...





“Les Choristes”, um filme ainda em exibição, de Christophe Barratier, conta a história de Clément Mathieu, um professor de música no desemprego que ingressa num internato de reeducação de menores como supervisor. Através da música, Mathieu conquista a atenção e o respeito dos pequenos rebeldes e tenta subverter a política rigorosa e repressiva aplicada por Rachin, o director do internato.
Numa primeira análise poderemos considerar o filme uma versão mais ou menos interessante de “O Clube dos Poetas Mortos”, mas veremos que nos surpreende. Mathieu, o professor desempregado, é um personagem extremamente digno. Representa todas as pessoas que apesar de eficientes e produtivas nos seus trabalhos nunca vêem o seu valor reconhecido porque a sua humildade e escrupulosidade os levam a procurar a dignidade e satisfação pessoal e não o estrelato. Rachin, o director do internato, representa “o puxador de cadeira” da alta roda, o hipócrita pouco inteligente que vai dominando os que estão sob seu poder e ridiculamente sacudindo a caspa dos ombros dos seus superiores.
Como era de se esperar a crítica não gostou do filme, talvez por ser uma história simples que procura valorizar aspectos essenciais da vida como a humildade, a dignidade pessoal e o respeito pelos outros. Se o enredo fosse incompreensível ou histérico, a pretender o intelectualismo, estou convicto que teria tido mais sucesso juntos dos “Rachins” que publicam as rubricas de cinema nos jornais diários.
v. LEAL BARROS

Imagem retirada do site oficial de "Les Choristes" »»» www.leschoristes-lefilm.com





1 Respostas a “E DEPOIS DO CAFÉ? #003”

  1. Anonymous Anónimo 

    Caro Vítor Barros

    Um blog podia servir para muita coisa, mas o mais certo, é servir, para coisa nenhuma. A inércia está demasiado inculcada na mentalidade vigente, e a necessidade de protagonismo aniquila as boas intenções iniciais, quanto a despejar opiniões avulso em terreiro público não me parece que resolva grande coisa, nem que faça grande diferença.
    Os blogues que difudem informação cultural, científica e artística, pelo menos prestam um serviço público; os blogues que pretedem fazer crítica social e política repisam demasiado no mesmo, e não apresentam alternativas.
    Caso deseje ter sucesso, terá que optar por uma produção apelativa, ou terá muita dificuldade em ganhar audiência. A concorrência é desleal, caso um blog esteja agregado a uma figura pública, dou-lhe o caso do Abrupto (caso não saiba, é o blog do Pacheco Pereira), é catapulatado para os lugares cimeiros do ranking das visitas e das menções honrosas, o produto vende-se bem, mesmo que a qualidade seja duvidosa, o conteúdo não é o mais importante. Por certo, alguns blogues apoiam a sua actividade com estudos de mercado e marketing directo para ganhar cota de mercado. Os restantes, servem para encher as bancadas, e ainda sobra a fatia marginal, os dissidentes, que cometem o crime de não pactuar com as regras de mercado.
    Se quer ter sucesso, crie um produto fácil de digerir, textos curtos; e no caso de se contentar com um punhado de leitores, publique o que lhe vai na alma, sem peias nem ameias.

    Um abraço
    Rodrigo Ribeiro

Comentar

      Convert to boldConvert to italicConvert to link

 


O Blog

  • O POVO É BOM TIPO PRETENDE SER UM LOCAL DE PARTILHA ONDE LIVREMENTE SE TROCAM GOSTOS, AFINIDADES E INSTANTES DE VIDA. NÃO MAIS DO QUE ISSO.

A População

Séries

Últimos Posts

Livro de Ponto

Arquivo

Periferia

Outras Cidades

Cidades Desabitadas

Outros Povos

Manutenção

  • + Blogger
  • + BlogRating
  • + Blogwise
  • + eXTReMe Tracker
  • + A Música do Povo
  • + Os Links do Povo
  • + Protegido por CreativeCommons